TODAS AS MÚSICAS

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

THE CURE









                                          
                                          
                                          
                                            1979 - THREE IMAGINARY BOYS

1.10:15 Saturday Night
2.Accuracy
3.Grinding Halt
4.Another Day
5.Object
6.Subway Song
7.Foxy Lady
8.Meathook
9.So What
10.Fire in Cairo
11.It's Not You
12.Three Imaginary Boys
13.Untitled

1980 - SEVENTEEN SECONS
1.A Reflection (instrumental)
2.Play for Today
3.Secrets
4.In Your House
5.Three
6.The Final Sound (instrumental)
7.A Forest
8.M
9.At Night
10.Seventeen Seconds
1981 - FAITH
1.The Holy Hour
2.Primary
3.Other Voices
4.All Cats Are Grey
5.The Funeral Party
6.Doubt
7.The Drowning Man
8.Faith

                                           1982 - PORNOGRAPHY
1.One Hundred Years
2.A Short Term Effect
3.The Hanging Garden
4.Siamese Twins
5.The Figurehead
6.A Strange Day
7.Cold
8.Pornography
1984 - THE TOP
1.Shake Dog Shake
2.Birdmad Girl
3.Wailing Wall
4.Give Me It
5.Dressing Up
6.The Caterpillar
7.Piggy in the Mirror
8.The Empty World
9.Bananafishbones
10.The Top


                                          1985 - THE HEAD ON THE DOOR


1.In Between Days
2.Kyoto Song
3.The Blood
4.Six Different Ways
5.Push
6.The Baby Screams
7.Close to Me
8.A Night Like This
9.Screw
10.Sinking

                                            1986 - ATARING AT THE SEA
1.Killing an Arab
2.10:15 Saturday Night
3.Boys Don't Cry
4.Jumping Someone Else's Train
5.A Forest
6.Play for Today
7.Primary
8.Other Voices
9.Charlotte Sometimes
10.The Hanging Garden
11.Let's Go to Bed
12.The Walk
13.The Love Cats
14.The Caterpillar
15.In Between Days
16.Close to Me
17.A Night Like This

                                          1987 - KISS ME KISS ME KISS ME
1.The Kiss
2.Catch
3.Torture
4.If Only Tonight We Could Sleep
5.Why Can't I Be You?
6.How Beautiful You Are...
7.Snakepit
8.Just Like Heaven
9.All I Want
10.Hot Hot Hot!!!
11.One More Time
12.Like Cockatoos
13.Icing Sugar
14.The Perfect Girl
15.A Thousand Hours
16.Shiver and Shake
17.Fight

                                          1989 - DESINTEGRATION
1.Plainsong
2.Pictures of You
3.Closedown
4.Lovesong
5.Last Dance
6.Lullaby
7.Fascination Street
8.Prayers for Rain
9.The Same Deep Water as You
10.Disintegration
11.Homesick
12.Untitled

                                          1992 - WISH
1.Open
2.High
3.Apart
4.From the Edge of the Deep Green Sea
5.Wendy Time
6.Doing the Unstuck
7.Friday I'm in Love
8.Trust
9.A Letter to Elise
10.Cut
11.To Wish Impossible Things
12.End

                                           1996 - WILD MOOD SWINGS
1.Want
2.Club America
3.This Is a Lie
4.The 13th
5.Strange Attraction
6.Mint Car
7.Jupiter Crash
8.Round & Round & Round
9.Gone!
10.Numb
11.Return
12.Trap
13.Treasure
14.Bare

                                                    2000 - BLOODFLOWERS
1.Out of This World
2.Watching Me Fall
3.Where the Birds Always Sing
4.Maybe Someday
5.Coming Up
6.The Last Day of Summer
7.There Is No If....
8.The Loudest Sound
9.39
10.Bloodflowers


                                          2004 - THE CURE
1.Lost
2.Labyrinth
3.Before Three
4.The End of the World
5.Anniversary
6.Us or Them
7.Alt.end
8.(I Don't Know What's Going) On
9.Taking Off
10.Never
11.The Promise


                                            2008 - 4:13 DREAM
1.Underneath the Stars
2.The Only One
3.The Reasons Why
4.Freakshow
5.Sirensong
6.The Real Snow White
7.The Hungry Ghost
8.Switch
9.The Perfect Boy
10.This. Here and Now. With You
11.Sleep When I'm Dead
12.The Scream
13.It's Over



história

Em 21 de abril de 1959 nascia em Blackpool, Inglaterra, aquele que seria o líder de umas das maiores e mais importantes bandas de Rock do cenário mundial. Seu nome era Robert Smith com 16 anos, Robert forma a banda Malice que logo após viria a se chamar Easy Cure. Com ele, tocavam o guitarrista e tecladista Porl Thompson, o baixista Michael Dempsey, e o baterista (e depois tecladista) Laurence "Lol" Tolhurst. Ainda com o nome de Easy Cure.

Em 1978 gravam as músicas Killing an Arab, Boys Don't Cry, Fire In Cairo, It's Not You e 10:15 Saturday Night. Levam a fita demo para várias gravadoras e Chris Parry, diretor artístico da Polygram inglesa, se interessa e posteriormente resolve produzir o primeiro single da banda. Assim, a banda, agora sem Porl Thompson, muda o nome para The Cure e Parry passa a empresariar a banda. Em 1979, enquanto faziam várias apresentações agendadas por Parry, o Cure começava a produzir aquele que seria o seu primeiro álbum: Three Imaginary Boys.

No segundo álbum, Seventeen Seconds (1980), a banda começa a ter um significativo avanço na técnica de estúdio. Neste álbum, o acompanhamento sutil dos teclados, em arranjos de estrutura minimalista, contribui na construção de uma atmosfera já um tanto sombria e depressiva que os caracterizaria daí pra frente. A música A Forest impulsionou as vendas do álbum em todo o mundo e a banda arrisca a sua primeira turnê mundial. Todos os discos desde então apenas viriam a confirmar a popularidade crescente. Dando continuidade com a mudança sonora, o terceiro álbum, Faith (1981), e o quarto, Pornography (1982), marcam a fase mais sombria do Cure refletindo um período muito conturbado de Robert Smith, perpassado por problemas com drogas e principalmente alcoolismo. As letras são muito tristes e os arranjos expressam toda a depressão de Robert.

Após essa fase conturbada, o Cure volta com uma proposta mais pop e um tanto quanto psicodélica. Smith já estava cansado dos discos estarem atraindo platéias cada vez mais raivosas e depressivas. Assim, esse tempo resulta num EP chamado Japanese Whispers (1983), com as clássicas The Walk, Lovecats e Let’s Go To Bed, basicamente eletrônicas. Em 1984 é lançado The Top, considerado pela crítica como o melhor trabalho do Cure até então, ao contrário de Bob Smith, que o considerou o pior disco, por problemas de mixagem. Esse disco, mistura psicodelia, pop de boa levada e aquele toque soturno bem dosado.

O ano de 1985 foi marcado por uma virada na vida do Cure. A banda parou de consumir drogas e teve uma das melhores fases, com o sucesso do disco The Head on the Door é um disco pop, em que a depressão dá lugar a uma leve melancolia.

O ano seguinte foi o da consagração da banda. Lançaram a coletânea Standing On The Beach que teve seu nome mudado para Staring At The Sea. Eles estouram em todo o mundo, fazendo dezenas de shows.

Em 1987, a banda passa semanas de reclusão em uma mansão campestre isolada do público, para começar a compor e ensaiar as músicas do próximo disco, Kiss Me Kiss Me Kiss Me. Lançado no dia 5 de maio de 1987, o disco trazia 17 faixas e alguns dos mais belos momentos da carreira do grupo.

Em 1989 a banda lança o disco Disintegration, com muito baixo de seis cordas e arranjos elaborados e extensos, resultando em um disco melancólico, triste, mas bonito. Para muitos o disco significava o fim do Cure.
Wish coloca o The Cure de volta nas rádios com a pop Friday I’m In Love. Assim eles voltam a rodar o mundo numa gigantesca turnê, tocando em espetáculos lotados, onde quer que fossem. Através do "Wish Tour", eles gravam em 1993, os discos ao vivo Show e Paris. Depois de muita espera, em 1994 termina o processo movido por Laurence Tolhurst, tendo resultado a favor de Robert Smith e da gravadora Fiction Records. Em 1996, o disco Wild Mood Swings é lançado assim que a banda retorna à Inglaterra depois de um a turnê. Logo depois, o Cure parte para uma nova turnê, a "The Swing Tour", que teve mais de 100 apresentações ao redor do globo.
É lançado oficialmente em 2000. Bloodflowers foi, na opinião de Robert, o disco mais perfeito lançado pela banda. Há rumores de que seria o último trabalho do Cure, mas isso não se concretiza posteriormente. No ano de 2004, após lançar no começo do ano o box set Join the Dots  a banda lança em junho o sucessor de Bloodflowers, intitulado simplesmente The Cure. O álbum acaba sendo elogiado pela crítica, com canções sombrias, atmosféricas, mas que não deixam de lado a veia pop do Cure. Os destaques são para End of The World, e também para as belas Lost e Before Three.
Em 2008, a banda passou a disponibilizar um single por mês a fim de despertar a curiosidade dos fãs. Finalmente, em outubro, é lançado oficialmente o décimo terceiro álbum da carreira. 4:13 Dream traz 13 faixas inéditas que não se propõem a inovar ou modernizar a identidade da banda. Este é um trabalho que ratifica o estilo Rock/Pop consagrado sem que, no entanto, seja repetitivo. De qualquer forma, um disco novo do The Cure é sempre um evento que, no mínimo, merece atenção dos velhos e novos ouvintes.

O The Cure foi, sem dúvida, uma das bandas mais importantes da década de 80. Responsáveis por grande parte dos hits dessa época, o grupo ainda continua fazendo história, mais de 25 anos após o lançamento do primeiro álbum. Com o lendário Robert Smith, o único remanescente desde o início, a banda ultrapassa os limites de qualquer rótulo que já tenha sido enquadrada e continua agradando a todos os adoradores do bom e velho Rock.



WHI CAN'T I BE YOU



UNDERNEATH THE STARS



HIGH

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.