TODAS AS MÚSICAS

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

CHICO BUARQUE








 
Francisco Buarque de Hollanda, conhecido como Chico Buarque (Rio de Janeiro, 19 de junho de 1944) é um músico, dramaturgo e escritor brasileiro. Casou-se e separou-se com a atriz Marieta Severo, com quem teve três filhas: Sílvia, que é atriz e casada com Chico Diaz, Helena, casada com o percussionista Carlinhos Brown e Luísa. É irmão das cantoras Miúcha, Ana de Hollanda e Cristina.

Filho do historiador Sérgio Buarque de Hollanda, iniciou sua carreira na década de 1960, destacando-se em 1966, quando venceu, com a canção A Banda, o Festival de Música Popular Brasileira. Em 1969, com a crescente repressão da Ditadura Militar no Brasil, se auto-exilou na Itália, tornando-se, ao retornar, um dos artistas mais ativos na crítica política e pela democratização do Brasil. Na carreira literária, foi ganhador do Prêmio Jabuti, pelo livro Budapeste, lançado em 2004.

Em 1946, passou a morar em São Paulo, onde o pai assumira a direção do Museu do Ipiranga. Sempre revelou interesses pela música - interesse que foi bastante reforçado pela convivência com intelectuais como Vinicius de Moraes e Paulo Vanzolini.

Em 1953, Sérgio Buarque de Holanda foi convidado para lecionar na Universidade de Roma, consequentemente, a família muda-se para a Itália. Chico torna-se trilingüe, na escola fala inglês, e nas ruas, italiano. Nessa época, suas primeiras "marchinhas de carnaval" são compostas, e, com as irmãs mais novas, Piiizinha, Cristina e Ana, encenadas.

De volta ao Brasil, produz suas primeiras crônicas no jornal Verbâmidas, do Colégio Santa Cruz, nome criado por ele. Sua primeira aparição na imprensa não foi cultural, mas policial, publicada, inclusive, no jornal Última Hora, de São Paulo. Com um amigo, furtou um carro para passear pela madrugada paulista, algo relativamente comum na época. Foi preso. "Pivetes furtaram um carro: presos" foi a manchete no dia seguinte com uma a foto de dois menores com tarjas pretas nos olhos. Chico não pôde mais sair sozinho à noite até que completasse 18 anos.

Início de Carreira

Chico Buarque chegou a ingressar no curso de Arquitetura na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU) em 1963. Cursou dois anos e parou em 1965, quando começou a se dedicar à carreira artística. Neste ano, lançou Sonho de Carnaval, inscrita no I Festival Nacional de Música Popular Brasileira, transmitida pela TV Excelsior, além de Pedro Pedreiro, música fundamental para experimentação do modo como viria a trabalhar os versos, com rigoroso trabalho estilístico morfológico e politização, mais significativa na década de 70. A primeira composição séria, Canção dos Olhos, é de 1961.

Conheceu Elis Regina, que havia vencido o Festival de Música Popular Brasileira (1965) com a canção Arrastão; mas a cantora acabou desistindo de gravá-lo devido à impaciência com a timidez do compositor. Chico Buarque se revelou ao público brasileiro quando ganhou o mesmo Festival, no ano seguinte (1966), transmitido pela TV Record, com A Banda, interpretada por Nara Leão (empatou em primeiro lugar com Disparada, de Geraldo Vandré). No entanto, Zuza Homem de Mello, no livro A Era dos Festivais - Uma Parábola, revelou que a banda venceu o festival. O musicólogo preservou por décadas as folhas de votação do festival. Nelas, constam que a música a banda ganhou a competição por 7 a 5. Chico, ao perceber que ganharia, foi até o presidente da comissão e disse não aceitar a derrota de Disparada. Caso isso acontecesse, iria na mesma hora entregar o prêmio ao concorrente.

No dia 10 de outubro de 1966, data da final, iniciou o processo que designaria Chico Buarque como unanimidade nacional, alcunha criada por Millôr Fernandes.

Canções como Ela e sua Janela, de 1966, começam a demonstrar a face lírica do compositor. Com a observação da sociedade, como nas diversas vezes em que citação do vocábulo janela está presente em suas primeiras canções: Juca, Januária, Carolina, A Banda e Madelena foi pro Mar. As influências de Noel Rosa podem ser notadas em A Rita, 1965, citado inclusive na letra, e Ismael Silva, como em marchas-ranchos.

Festivais de MPB nos anos de 1960

No festival de 1967 faria sucesso também com Roda Viva, interpretada por ele e pelo grupo MPB-4 -- amigos e intérpretes de muitas de suas canções. Em 1968 voltou a vencer outro Festival, o III Festival Internacional da Canção da TV Globo. Como compositor, em parceira com Tom Jobim, com a canção Sabiá. Mas desta vez a vitória foi contestada pelo público, que preferiu a canção que ficou em segundo lugar: Pra não dizer que não falei de flores, de Geraldo Vandré.

A participação no Festival, com A Banda, marcou a primeira aparição pública de grande repercussão apresentando um estilo amparado no movimento musical urbano carioca da Bossa nova, surgido em 1957. Ao longo da carreira, o samba e a MPB também seriam estilos amplamente explorados.

Trilha-sonora e adaptações de livros

Chico participou como ator e compôs várias canções de sucesso para o filme Quando o Carnaval chegar, musical de Cacá Diegues. Compôs a canção-tema do longa-metragem Vai trabalhar Vagabundo, de Hugo Carvana -- Carvana chegou a modificar o roteiro a fim de usá-la melhor. Faria o mesmo com os filmes seguintes desse diretor: Se segura malandro e Vai trabalhar vagabundo II. Adaptou canções de uma peça infantil para o filme Os Saltimbancos Trapalhões do grupo humorístico Os Trapalhões e com interpretações de Lucinha Lins. Outras adaptações de uma peça homônima de sua autoria foram feitas para o filme A Ópera do Malandro, mais um musical cinematográfico. Vários filmes que tiveram canções-temas de sua autoria e que fizeram muito sucesso além dos citados: Bye Bye Brasil, Dona Flor e seus dois maridos e Eu te amo, os dois últimos com Sônia Braga. Recentemente, chegou a ter uma participação especial como ator no filme Ed Mort. Ele escreveu um livro que virou filme, Benjamim, que foi ao ar nos cinemas em 2003, tendo como personagens principais Cleo Pires, Danton Melo e Paulo José.

Teatro e literatura

Musicou as peças Morte e vida severina e o infantil Os Saltimbancos. Escreveu também várias peças de teatro, entre elas Roda Viva (proibida), Gota d'Água, Calabar (proibida), Ópera do malandro e alguns livros: Estorvo, Benjamim e Budapeste.

Chico Buarque sempre se destacou como cronista nos tempos de colégio, seu primeiro livro foi publicado em 1966, trazia os manuscritos das primeiras composições e o conto Ulisses, e ainda uma crônica de Carlos Drummond de Andrade sobre A Banda. Em 1974, escreve a novela pecuária Fazenda modelo e, em 1979, Chapeuzinho Amarelo, um livro-poema para crianças. A bordo do Rui Barbosa foi escrito em 1963 ou 1964 e publicado em 1981. Em 1991, publica o romance Estorvo e, quatro anos depois, escreve o livro Benjamim. Em 2004, o romance Budapeste ganha o Prêmio Jabuti de melhor Livro de Ficção do ano. Oficialmente, a vendagem mínima de seus livros é de 500 mil exemplares no Brasil.

Programas de televisão

Deixou de participar de programas populares de televisão, tendo problemas com o apresentador Chacrinha, que teria feito uma piada com a letra da canção Pedro Pedreiro, ao ouvir o ensaio. Irritado, Chico foi embora e nunca se apresentou no programa. O executivo Boni proibiu qualquer referência a Chico durante a programação da TV Globo, depois que ambos também tiveram um entrevero, mas por pouco tempo, uma vez que ainda durante a década de 70 (e o começo da de 80) músicas suas constavam das trilhas de várias telenovelas, como Espelho Mágico e Sétimo Sentido. Ao fim da proibição vários anos depois, Chico aceitou fazer um programa com Caetano Veloso, que contou com a participação de outros artistas.

A crítica à Ditadura

Ameaçado pelo Regime Militar no Brasil, esteve exilado na Itália em 1969, onde chegou a fazer espetáculos com Toquinho. Nessa época teve suas canções Apesar de você (alusão negativa ao presidente Emílio Garrastazu Médici) e Cálice censuradas pela censura brasileira. Adotou o pseudônimo de Julinho da Adelaide, com o qual compôs apenas três canções: "Milagre Brasileiro", "Acorda amor" e "Jorge Maravilha". Na Itália Chico tornou-se amigo do cantor Lucio Dalla, de quem fez a belíssima Minha História, versão em português (1970) da canção Gesù Bambino (título verdadeiro 4 marzo 1943), de Lucio Dalla e Paola Palotino.

Ao voltar ao Brasil continuou com composições que denunciavam aspectos sociais, econômicos e culturais, como a célebre Construção ou a divertida Partido Alto. Apresentou-se com Caetano Veloso (que também foi exilado, mas na Inglaterra) e Maria Bethânia. Teve outra de suas músicas associada a críticas a um presidente do Brasil. Julinho da Adelaide, aliás, não era só um pseudônimo, mas sim a forma que o compositor encontrou para driblar a censura, então implacável ao perceber seu nome nos créditos de uma música. Para completar a farsa e dar-lhe ares de veracidade, Julinho da Adelaide chegou a ter cédula de identidade e até mesmo a conceder entrevista a um jornal da época.

Uma das canções de Chico Buarque que criticam a ditadura, é uma carta em forma de música, uma carta musicada que ele fez em homenagem ao Augusto Boal, que vivia no exílio, quando o Brasil ainda vivia sob a ditadura militar.

A canção se chama Meu Caro Amigo e foi dirigida a Boal, que na época estava exilado em Lisboa. A canção foi lançada originalmente num disco de título quase igual, chamado Meus Caros Amigos, do ano de 1976.

Nordeste já

Valendo-se ainda do filão engajado da pós-ditadura, cantou, ainda que com uma participação individual diminuta, no coro da versão brasileira de We Are the World, o hit americano que juntou vozes e levantou fundos para a África ou USA for Africa. O projeto Nordeste Já (1985), abraçou a causa da seca nordestina, unindo 155 vozes num compacto, de criação coletiva, com as canções Chega de mágoa e Seca d´água. Elogiado pela competência das interpretações individuais, foi no entanto criticado pela incapacidade de harmonizar as vozes e o enquadramento de cada uma delas no coro.


CONSTRUÇÃO



VAI PASSAR




Carioca: 2006
01. Subúrbio
02. Outros Sonhos
03. Ode aos Ratos
04. Dura na Queda
05. Porque Era Ela, Porque Era Eu
06. As Atrizes
07. Ela Faz Cinema
08. Bolero Blues
09. Renata Maria
10. Leve
11. Sempre
12. Imagina
Chico no Cinema: 2005
CD1:
01. Noite dos Mascarados - Elis Regina e Chico Buarque
02. Um Chorinho
03. Quando o Carnaval Chegar
04. Caçada
05. Boioque - Maria Bethânia
06. Soneto - Nara Leão
07. Mambembe
08. Joanna Francesa - Raimundo Fagner e Chico
09. Vai Trabalhar, Vagabundo
10. A Noiva da Cidade
11. Quadrilha - Francis Hime e Chico
12. Passaredo
13. O que Será (à Flor da Terra) - Milton N. e Chico
14. Feijoada Completa
15. Sob Medida - Fafá de Belém
16. Não Sonho Mais

CD2:
01. Bye, Bye, Brasil
02. Linha de Montagem
03. Eu Te Amo - Telma Costa e Chico
04. Piruetas - Os Trapalhões e Chico
05. Samba do Grande Amor
06. Tanta Saudade - Djavan
07. Mil Perdões
08. A Volta do Malandro
09. Sentimental - Zizi Possi
10. Rio 42 - Bebel Gilberto
11. Palavra de Mulher - Elba Ramalho
12. Hino da Repressão (2º Turno)
13. Trapaças
14. A Ostra e o Vento - Branca Lima e Chico
15. Dueto - Zizi Possi e Chico
16. Porque Era Ela, Porque era Eu
Francisco Buarque de Hollanda + 2 Dvds- BOX 12 CDs: 2004
CDs:
Francisco (1987)
Chico Buarque (1989)
Chico ao Vivo Paris Le Zenith (1990)
Paratodos (1993)
Uma Palavra (1995)
Álbum de Teatro (1997)
Chico Buarque de Mangueira (1997)
As Cidades (1998)
Chico ao Vivo (1999)
Cambaio (2001)
Duetos (2002)
Chico Buarque de Holanda e Ennio Morricone - Per Un Pugno Di Samba (2003)

DVDs:
Chico e as Cidades (2000)
Chico e o País da Delicadeza Perdida (2003)
Chico ou o País da Delicadeza Perdida: 2003
01. Estação Derradeira
02. Eu Quero Um Samba / Essa Moça Tá Diferente
03. Brejo Da Cruz
04. Joana Francesa
05. O Que Será (À Flor Da Pele)
06. Olhos Nos Olhos
07. Samba Do Grande Amor (Part. Especial: Gal Costa)
08. Baticum (Part. Especial: Gilberto Gil)
09. Morro Dois Irmãos
10. Rio 42 / Não Existe Pecado Ao Sul Do Equador
11. Mil Perdões
12. Sem Compromisso / Deixa a Menina
13. A Volta Do Malandro
Chico Buarque - Duetos: 2002
01. Façamos (Vamos Amar)
02. Desalento
03. Sem Você
04. Mar y Luna
05. Dueto
06. A Mulher do Aníbal
07. A Rosa
08. Até Pensei
09. Seu Chopin, Desculpe
10. Iolanda
11. Carcará
12. Piano da Mangueira
13. Dinheiro em Penca
14. Não Sonho Mais
Cambaio: 2001
01. Cambaio
02. Uma Canção Inédita
03. Lábia
04. A Moça do Sonho
05. Ode aos Ratos
06. Quase Memória (Instrumental)
07. Veneta
08. Noite de Verão
09. A Fábrica (Instrumental)
10. Cantiga de Acordar
Chico Ao Vivo: 1999
CD 1
01. Paratodos
02. Amor Barato
03. A Noiva da Cidade
04. A Volta do Malandro
05. Homenagem ao Malandro
06. A Ostra e o Vento
07. Sem Você
08. Cecília
09. Aquela Mulher
10. Sob Medida
11. O Meu Amor
12. Teresinha
13. Injuriado
14. Quem Te Viu, Quem Te Vê

CD 2
01. As Vitrines
02. Iracema Voou
03. Assentamento
04. Como Se Fosse a Primavera
05. Cotidiano
06. Bancarrota Blues
07. Xote da Navegação
08. Construção
09. Sonhos Sonhos São
10. Carioca
11. Capital do Samba
12. Chão de Estrelas
13. Futuros Amantes
14. Vai Passar
15. João e Maria
As Cidades: 1998
01. Carioca
02. Iracema Voou
03. Sonhos Sonhos São
04. A Ostra e o Vento
05. Xote de Navegação
06. Você, Você
07. Assentamento
08. Injuriado
09. Aquela Mulher
10. Cecília
11. Chão de Esmeraldas
Terra (Single): 1997
01. Assentamento
02. Brejo da Cruz
03. Levantados do Chão
04. Fantasia
Uma Palavra: 1995
01. Estação Derradeira
02. Morro Dois Irmãos
03. Ela é Dançarina
04. Samba e Amor
05. A Rosa
06. Joana Francesa
07. O Futebol
08. Ela Desatinou
09. Quem Te Viu, Quem Te Vê
10. Pelas Tabelas
11. Eu Te Amo
12. Valsa Brasileira
13. Amor Barato
14. Vida
15. Uma Palavra
Paratodos: 1993
01. Paratodos
02. Choro Bandido
03. Tempo e Artista
04. De Volta ao Samba
05. Sobre Todas as Coisas
06. Outra Noite
07. Biscate
08. Romance
09. Futuros Amantes
10. Piano na Mangueira
11. Pivete
12. A Foto da Capa
Chico Buarque ao Vivo Paris le Zenith: 1990
01. Apresentação
02. Desalento
03. A Rita
04. Samba do Grande Amor
05. Gota D’água
06. As Vitrines
07. A Volta do Malandro
08. Partido Alto
09. Sem Compromisso
10. Deixe a Menina
11. Suburbano Coração
12. Palavra de Mulher
13. Todo o Sentimento
14. Joana Francesa
15. Rio 42
16. Não Existe Pecado ao Sul do Equador
17. Brejo da Cruz
18. O Que Será (À Flor Da Pele)
19. Vai Passar
20. Samba de Orly
21. João e Maria
22. Eu Quero um Samba
23. Essa Moça Tá Diferente
Chico Buarque: 1989
01. Morro dois Irmãos
02. Trapaças
03. Na Ilha de Lia, no Barco de Rosa (Meio-Dia, Meia-Lua)
04. Baticum
05. A Permuta dos Santos
06. O Futebol
07. A Mais Bonita
08. Uma Palavra
09. Tanta Saudade
10. Valsa Brasileira
Dança da Meia-Lua: 1988
01. Abertura
02. Casa de João da Rosa
03. A Permuta dos Santos
04. Frevo Diabo
05. Meio Dia, Meia Lua
06. Abandono
07. Dança das Máquinas
08. Tablados
09. Tororó
10. Sol e Chuva
11. Valsa Brasileira
12. Pas de Deux
Francisco: 1987
01. O Velho Francisco
02. As Minhas Meninas
03. Uma Menina
04. Estação Derradeira
05. Bancarrota Blues
06. Ludo Real
07. Todo o Sentimento
08. Lola
09. Cadê Você-Leila XIV
10. Cantando no Toró
Melhores Momentos de Chico & Caetano: 1986
01. Festa Imodesta
02. Billy Jean
03. Roberto Corta Essa
04. Adíos Nonino
05. Tiro de Misericórdia
06. Não Quero Saber Mais Dela
07. London, London
08. Águas de Março
09. Sentimental
10. Luz Negra
11. Merda
O Corsário do Rei: 1985
01. Verdadeira Embolada
02. Show Bizz
03. A Mulher de Cada Porto
04. Opereta do Malandro
05. Bancarrota Blues
06. Tango de Nancy
07. Choro de Bandido
08. Salmo
09. Acalanto
10. O Corsário do Rei
11. Meia-Noite
Ópera Do Malandro: 1985
01. A Volta do Malandro
02. As Muchachas de Copacabana
03. Tema da Geni
04. Hino da Repressão
05. Aquela Mulher
06. Viver do Amor
07. Sentimental
08. Desafio do Malandro
09. O Último Blues
10. Palavra de Mulher
11. O Meu Amor
12. Tango do Covil
13. Uma Canção Desnaturada
14. Rio 42
15. Pedaço de Mim
Malandro: 1985
01. A Volta do Malandro
02. Las Muchachas de Copacabana
03. Hino da Repressão
04. O Último Blues
05. Tango do Covil
06. Sentimental
07. Aquela Mulher
08. Palavra de Mulher
09. Hino da Repressão
10. Rio 42
Chico Buarque: 1984
01. Pelas Tabelas
02. Brejo da Cruz
03. Tantas Palavras
04. Mano a Mano
05. Samba do Grande Amor
06. Como se Fosse a Primavera (Canción)
07. Suburbano Coração
08. Mil Perdões
09. As Cartas
10. Vai Passar
Para Viver um Grande Amor: 1983
01. Samba do Carioca
02. Sabe Você?
03. Sinhazinha (Despedida)
04. Desejo
05. A Violeira
06. Imagina
07. Tanta Saudade
08. A Primavera
09. Sinhazinha (Despertar)
10. Samba do Grande Amor
11. Meninos, Eu Vi
O Grande Circo Místico: 1983
01. Abertura do Circo
02. Beatriz
03. Valsa dos Clowns
04. Opereta do Casamento
05. A História de Lily Braun
06. Sobre Todas as Coisas
07. A Bela e a Fera
08. Ciranda da Bailarina
09. O Circo Místico
10. Na Carreira
11. Meu Namorado
Chico Buarque em Espanhol: 1982
01. Que Será (O Que Será à Flor da Terra)
02. Mar y Luna (Mar e Lua)
03. Geni y el Zepelin (Geni e o Zepelim)
04. Apesar de Usted (Apesar de Você)
05. Querido Amigo (Meu Caro Amigo)
06. Construcción (Construção)
07. Te Amo (Eu Te Amo)
08. Cotidiano (Cotidiano)
09. Acalanto (Acalanto Para Helena)
10. Mambembe (Mambembe)
Almanaque: 1981
01. As vitrines
02. Ela é Dançarina
03. O Meu Guri
04. A Voz do Dono e o Dono da Voz
05. Almanaque
06. Tanto Amar
07. Angélica
08. Moto-Contínuo
09. Amor Barato
Saltimbancos Trapalhões: 1981
01. Piruetas
02. Hollywood
03. Alô, Liberdade
04. A Cidade dos Artistas
05. História de uma Gata
06. Rebichada
07. Minha Canção
08. Meu Caro Barão
09. Todos Juntos
Vida: 1980
01. Vida
02. Mar e Lua
03. Deixe a Menina
04. Já Passou
05. Bastidores
06. Qualquer Canção
07. Fantasia
08. Eu Te Amo
09. De Todas as Maneiras
10. Morena de Angola
11. Bye, Bye, Brasil
12. Não Sonho Mais
Show 1º de Maio (Single): 1980
01. Linha de Montagem
02. Pedaço de Mim
03. A mim e a Mais Ninguém
04. Súplica
Ópera do Malandro: 1979
01. O Malandro
02. Hino de Duran
03. Viver de Amor
04. Uma Canção Desnaturada
05. Tango do Covil
06. Doze Anos
07. O Casamento dos Pequenos Burgueses
08. Teresinha
09. Homenagem ao Malandro
10. Folhetim
11. Ai, Se Eles Me Pegam Agora
12. O Meu Amor
13. Se Eu Fosse Teu Patrão
14. Geni e o Zepelin
15. Pedaço de Mim
16. Ópera do Malandro
17. O Malandro Nº 2 Vem Aí
Chico Buarque: 1978
01. Feijoada Completa
02. Cálice
03. Trocando em Miúdos
04. O Meu Amor
05. Homenagem ao Malandro
06. Até o Fim
07. Pedaço de Mim
08. Pivete
09. Pequeña Serenata Diurna
10. Tanto Mar
11. Apesar de Você
Os Saltimbancos: 1977
01. Bicharia
02. O Jumento
03. Um Dia de Cão
04. A Galinha
05. História de Uma Gata
06. A Cidade Ideal
07. Minha Canção
08. A Pousada do Bom Barão
09. A Batalha
10. Esconde Esconde
11. Todos Juntos
12. Bicharia
Gota D'água: 1977
01. Flor da Idade
02. Entrada de Joana
03. Monólogo do Povo
04. Bem Querer
05. Desabafo de Joana Para Jasão
06. Joana e as Vizinhas
07. Gota D’água
08. Joana Promete
09. Basta Um Dia
10. Ritual
11. Veneno
12. Morte
Cio da Terra (Single): 1977
01. Cio da Terra
02. Primeiro de Maio
Meus Caros Amigos: 1976
01. O Que Será (À Flor da Terra)
02. Mulheres de Atenas
03. Olhos Nos Olhos
04. Você Vai Me Seguir
05. Vai Trabalhar Vagabundo
06. Corrente
07. A Noiva da Cidade
08. Passaredo
09. Basta Um Dia
10. Meu Caro Amigo
Chico Buarque e Maria Bethânia ao Vivo: 1975
01. Olê, Olá
02. Sonho Impossível (The impossible Dream)
03. Sinal Fechado
04. Sem Fantasia
05. Sem Açucar
06. Com Açucar, Com Afeto
07. Camisola do Dia
08. Notícia de Jornal
09. Gota D’água
10. Tanto Mar (Instrumental)
11. Foi Assim
12. Flor da Idade
13. Bem Querer
14. Cobras e Lagartos
15. Gitã
16. Quem Te Viu, Quem Te Vê
17. Vai Levando
18. Noite dos Mascarados
Sinal Fechado: 1974
01. Festa Imodesta
02. Copo Vazio
03. Filosofia
04. O Filho Que Eu Quero Ter
05. Cuidado Com a Outra
06. Lágrima
07. Acorda Amor
08. Lígia
09. Sem Compromisso
10. Você Não Sabe Amar
11. Me Deixe Mudo
12. Sinal Fechado
Chico Canta: 1973
01. Prólogo: O elogio da Traição
02. Cala a Boca, Bárbara
03. Tatuagem
04. Ana de Amsterdã
05. Bárbara
06. Não Existe Pecado ao Sul do Equador
07. Boi Voador Não Pode
08. Fado Tropical
09. Tira as Mãos de Mim
10. Cobra de Vidro
11. Vence Na Vida Quem Diz Sim
12. Fortaleza
Quando o Carnaval Chegar: 1972
01. Mambembe
02. Baioque
03. Caçada
04. Mais Uma Estrela
05. Quando o Carnaval Chegar
06. Minha Embaixada Chegou
07. Soneto
08. Mambembe
09. Soneto
10. Partido Alto
11. Bom Conselho
12. Frevo
13. Formosa
14. Cantores de Rádio
Caetano e Chico (Juntos e ao Vivo): 1972
01. Bom Conselho
02. Partido Alto
03. Tropicália
04. Morena dos Olhos D’água
05. A Rita/ Esse Cara
06. Atrás da Porta
07. Você Não Entende de Nada / Cotidiano
08. Bárbara
09. Ana de Amsterdã
10. Janelas Abertas N° 2
11. Os Argonautas
Construção: 1971
01. Deus Lhe Pague
02. Cotidiano
03. Desalento
04. Construção
05. Cordão
06. Olha Maria
07. Samba de Orly
08. Valsinha
09. Minha História (Gesúbambino)
10. Acalanto
Per Un Pugno di Samba: 1970
01. Rotativa
02. Samba e Amore
03. Sogno di Un Carnevale
04. Lei No, Lei Sta Ballando
05. Il Nome de Maria
06. Funerali di Un Contadino
07. In Te
08. Queste e Quelle
09. Tu Sei Una di Noi
10. Nicanor
11. In Memoria de Un Congiurate
12. Ed Ora Disco Sul Serio
Chico Buarque de Holanda - Volume 4: 1970
01. Essa Moça Tá Diferente
02. Não Fala de Maria
03. Ilmo. Sr. Ciro Monteiro ou Receita Para Virar Casaca de Neném
04. Agora Falando Sério
05. Gente Humilde
06. Nicanor
07. Rosa-dos-Ventos
08. Samba e Amor
09. Pois É
10. Cara a Cara
11. Mulher, Vou Dizer Quanto Te Amo
Apesar de Você (Single): 1970
01. Apesar de Você
02. Desalento
Umas e Outras (Single): 1969
01. Onde é Que Você Estava
02. Umas e Outras
03. Benvinda
04. Até Pensei
Chico Buarque de Holanda (Single): 1969
01. Ciao Ciao Addio
02. Cara a Cara
Chico Buarque na Itália: 1969
01. Far Niente (Bom Tempo)
02. La Banda (A Banda)
03. Juca
04. Olê, Olá
05. Rita
06. Non Voui Ascoltar (Você Não Ouviu)
07. Una Mia Canzone (Meu Refrão)
08. C’e Piu Samba
09. Maddalena É Andata Via (Madalena Foi Pro Mar)
10. Carolina
11. Pedro Pedreiro
12. La TV (A Televisão)
Chico Buarque de Holanda - Volume 3: 1968
01. Ela Desatinou
02. Retrato em Branco e Preto
03. Januária
04. Desencontro
05. Carolina
06. Roda Viva
07. O Velho
08. Até Pensei
09. Sem Fantasia
10. Até Segunda-Feira
11. Funeral de Um Lavrador
Chico Buarque de Holanda (Single): 1968
01. Bom Tempo
02. Ela Desatinou
Chico Buarque de Holanda - Volume 2: 1967
01. Noite dos Mascarados
02. Logo Eu?
03. Com Açúcar, Com Afeto
04. Fica
05. Lua Cheia
06. Quem Te Viu, Quem Te Vê
07. Realejo
08. Ano Novo
09. A Televisão
10. Será Que Cristina Volta?
11. Morena dos Olhos D’água
12. Um Chorinho
Chico Buarque de Holanda: 1966
01. A Banda
02. Tem Mais Samba
03. A Rita
04. Ela e Sua Janela
05. Madalena Foi Pro Mar
06. Pedro Pedreiro
07. Amanhã, Ninguém Sabe
08. Você Não Ouviu
09. Juca
10. Olê, Olá
11. Meu Refrão
12. Sonho de Um Carnaval

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.