TODAS AS MÚSICAS

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

PLACA LUMINOSA





 



 A banda existe desde janeiro de 1977, ano em que grava o primeiro disco, cuja faixa “Velho demais” é tema da novela globa, “Sem lenço e sem documento”.

Mesmo com a boa execução no rádio e um relativo sucesso, o Placa continuou na estrada fazendo, basicamente, bailes pelos clubes do pais inteiro. Aliás, bom que se diga, os clubes das cidades do interior, principalmente, eram um ótimo espaço de trabalho para o músico brasileiro, coisa que, recentemente, tem-se a impressão, vem ressurgindo, só que, agora, nos bares das médias e grandes cidades do Brasil.

O ano de 1981 é especial na história do PLACA. Raul de Souza considerado, então, o 3º melhor trombonista do mundo, segundo a revista Downbeat, acaba de chegar de Los Angeles à procura de uma banda que pudesse tocar com ele, nas apresentações que faria em São Paulo, bem como na gravação de especiais para as TVs Cultura e Bandeirantes. Foi um golaço! Tendo em vista que nas terras tupiniquins, para os segmentos tidos como formadores de opinião, tocar em bailes era uma atividade menor, porque, supostamente o músico de baile não seria criativo e, ou capaz de realizar trabalhos musicais dignos de respeito. Tocar com RAUL DE SOUZA foi um up grade. Era como se só agora, depois do “vestibular”, a banda tivesse conseguido, finalmente, o passaporte para o time dos músicos propriamente ditos.

Ainda em 1981, gravam o LP “Néon”, disco onde já começa a ser desenhado o estilo MPB-POP-SOUL que, hoje, no novo CD “Beleza que se espalha” pode-se afirmar, bastante definido. Um som de MPB meio jazzy, meio bossa nova, meio soul e meio pop, estética essa (pop) que foi, sem dúvida, bastante mais acentuada na fase de grande sucesso, da década de 80.

Logo após a gravação de “Neon”, com o nome já consagrado no meio musical, surgem várias oportunidades de trabalho, agora com nomes de expressão no cenário musical nacional. Aí vieram, Erasmo Carlos, Tim Maia, Cezar Camargo Mariano, com quem fizeram o show “A todas amizades” com enorme sucesso de público e crítica alem do especial “À Cezar” que foi realizado por Solano Ribeiro (aquele dos festivais da Record) na TV Manchete. Outro golaço!

Foi o próprio Cézar Camargo Mariano quem se encarregou de recomendaro a PLACA para Ney Matogrosso, que estava atrás de uma banda para o show “Destino de aventureiro”. Dessa vez não foi só um golaço. Foi uma goleada. Não é à toa que, o próprio Ney acha, até hoje, que esse foi o melhor show da sua belíssima carreira. É isso aí, o Placa estava nessa, e não era tudo. Juntos em janeiro de 1985 abririam o primeiro Rock in Rio.

A estrada e a luta continuavam. Sempre fazendo shows, bailes e muitas, muitas “demos”. Chega o ano de 1997. Com a versão de “Just to see her”, de Smokey Robinson feita por Rosana Herman, na mão, foram para o estúdio Transamérica. A canção foi gravada. Dias depois uma fita com a versão, “Mais uma vez” começou a tocar na Jovem Pan e depois na rádio Cidade e depois na Band etc ,etc. O resto é história. Nos dois anos que se seguiram vieram os sucessos “Fica comigo” (novela Top Model-Globo) e “Ego” (novela Mico preto - Globo). Ambas as canções foram primeiro lugar nas paradas de sucesso em todo o Brasil.






Discografia
  • 1977 - Velho Demais
  • 1978 - Chuvas e Trovoadas
  • 1979 - Riacho da Lagoa
  • 1981 - Neon
  • 1988 - Placa Luminosa
  • 1989 - Parece Real
  • 1991 - Romance
  • 1997 - Ponto de Partida
  • 2007 - Beleza que se Espalha



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.